A IMPORTÂNCIA DO DESENHO PARA A ALFABETIZAÇÃO ANOS INICIAIS

  • Márcia Prado Castro, Co-autora orientadora Faculdades Integradas Campos Salles
  • Karina Silva Dantas, Autora Prefeitura de São Paulo/ Faculdades Integradas Campos Salles.

Resumo

Este artigo tem como objetivo refletir sobre a prática do professor na organização do processo ensino-aprendizagem numa sala de aula com alunos do ensino regular nos anos iniciais. O presente estudo surgiu a partir da falta de conhecimento aprofundado e valorização dos professores que trabalham nos anos iniciais da educação, em relação ao desenho da criança. O desenho é uma etapa extremamente necessária para a aquisição e a compreensão da língua escrita, entretanto, não é somente nesse âmbito que as representações têm influência, uma vez que também atua no desenvolvimento global da criança. Por isso, realizou-se um levantamento teórico no qual alguns autores foram essenciais para embasar este trabalho. Desenhar é uma necessidade para a criança, assim como comer e dormir, se for podada ou somente reproduzir o adulto e não usar de sua criatividade, haverá falhas em sua personalidade futura, como a dificuldade de expressão oral e escrita, inibição, dificuldades psicomotoras etc. A metodologia utilizada foi a pesquisa bibliográfica. Concluiu-se que há a necessidade de um melhor entendimento sobre o desenho infantil, pois permite a compreensão de que é essencial a sua utilização em práticas pedagógicas direcionadas e mediadas, a fim de contribuir para o desenvolvimento da criança, não usando o desenho como um passatempo ou somente reprodução, mas sim como uma produção própria da criança.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Márcia Prado Castro é mestre Profissional em Ensino da Matemática, pós-graduada em Informática Aplicada à Educação e Planejamento, Implementação e Gestão de Educação à Distância, graduada em Matemática e professora das Faculdades Integradas Campos Salles.

##submission.authorWithAffiliation##

Karina Silva Dantas é professora de Educação Infantil, formada em Pedagogia na Faculdade Sumaré em 2017, trabalha no CEI Ângela Maria Fernandes.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Vol.1. Brasília: MEC\SEF, 1998.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. Arte: Ensino de primeira à quarta série. Secretaria de Educação Fundamental. Brasileira. MEC/SEF, 1997.

DERDYK. Edith. Formas de Pensar o Desenho: Desenvolvimento do Grafismo Infantil. 3. ed. São Paulo: Editora Scipione. 2003.

LOWENFELD, Viktor. A criança e Sua Arte. São Paulo: Editora Mestre Jou, 1976.

LUQUET, Georges Henri. O Desenho Infantil. Barcelona. Editora Porto Civilização, 1969.

MÈREDIEU. Florence de. O Desenho Infantil. 11. ed. São Paulo: Editora Cultrix, 2006.

MOREIRA, Ana Angelica Albano. O Espaço do Desenho: A Educação do Educador. 2. ed. São Paulo: Editora Loyola, 1987.

PIAGET, Jean. A Equilibração das Estruturas Cognitivas. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1976.

SILVA, Silvia Maria Cintra. Condições Sociais da Constituição do Desenho Infantil. Dissertação de Mestrado. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2019.

VIGOTSKY, LEV SEMENOVICH. A Formação Social da Mente: O Desenvolvimento dos Processos Psicológicos Superiores. São Paulo: Editora Martins Fontes, 1988.

ZATZ, Lia. Aventura da escrita: História do desenho que virou letra. 2. ed. São Paulo: Editora Moderna, 2002.
Publicado
2019-04-14
Como Citar
CASTRO, Márcia Prado; DANTAS, Karina Silva. A IMPORTÂNCIA DO DESENHO PARA A ALFABETIZAÇÃO ANOS INICIAIS. Revista de Pós-graduação Multidisciplinar, [S.l.], v. 1, n. 6, p. 43-58, apr. 2019. ISSN 2594-4797. Disponível em: <https://www.fics.edu.br/index.php/rpgm/article/view/840>. Acesso em: 02 dec. 2021. doi: https://doi.org/10.22287/rpgm.v1i6.840.