A prudência e sua aproximação com a verdade prática em Tomás de Aquino

  • Ricardo Czepurnyj Ferrara Faculdades Integradas Campos Salles

Resumo

A prudência no pensamento de Tomás de Aquino, como uma modalidade de conhecimento e direção, tem por objeto a verdade prática. Ainda que a prudência passe pela verdade especulativa (necessária, adequação entre intelecto e realidade), o seu foco é, em última instância, não a verdade teórica, mas a verdade em relação à ética, à ação, isto é, a adequação da ação ao fim corretamente estabelecido. Há aí uma ligação entre intelecto e vontade, verdadeiro e bem (verum et bonum). Isto significa uma boa deliberação, um bom juízo a respeito e uma boa escolha, em vista da ação concreta. Em outros termos, o desejo reto (finalidade boa) e o cálculo verdadeiro em vista do juízo verdadeiro e da ação correta (indicação dos meios necessários) são os constituintes indispensáveis para a verdade prática do homem prudente.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Ricardo Czepurnyj Ferrara. Mestre em Filosofia na Universidade São Judas (2013). Graduado bacharel em Filosofia pela Universidade São Judas Tadeu (2009) e bacharel em Sistemas de Informação pelo Centro Universitário Íbero - Americano - UNIBERO (2006). Docente do curso de Direito das Faculdades Integradas Campos Salles (FICS).

Referências

AQUINO, Tomás de. Suma Teológica. Trad. Aimom - Marie Roguet et al. São Paulo: Loyola, 2001.
_______________. Suma de Teologia http://www.corpusthomisticum.org/. Acesso em 15-08-2015, às 20:43.
AMARAL, A. C. R. do. Subsídios filosóficos ao ensino jurídico: as virtudes da Prudentia e da Iustitia e o "método do caso" aplicado à disciplina de Direitos e Garantias Fundamentais. 2007. Tese de Doutorado. Faculdade de Educação da USP. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-22022008-152311/pt-br.php. Acesso em 15-08-2015 às 10:08.
AUBENQUE, P. A Prudência em Aristóteles. 1ª ed., São Paulo: Discurso Editorial, 2003.
BARRERA, J. M. Reconsideraciones sobre el pensamiento político de Santo Tomás de Aquino. Mendoza. Editorial de la Facultad de Filosofía y Letras, 1999.
COSTA, M. R. N., DE BONI, L. A. A Ética Medieval Face aos Desafios da Contemporaneidade. Porto Alegre: Edipucrs, 2004.
COUTO-SOARES, M. L. Razón Pratica y Virtud. Roma: Società Internazionale Tommaso d’Aquino. 2003. Disponível em: http://www.e-aquinas.net/pdf/couto.pdf. Acesso em 14-08-2015 às 22:52.
CHATEAU, J.-Y (org.) La vérité pratique: Aristote, Éthique à Nicomaque, livre VI. Textes réunis par Jean-Yves Chateau. Paris: J.Vrin, 1997.
CHENU, M-D. Santo Tomás de Aquino e a Teologia, Rio de Janeiro, Editora Agir, 1967.
BELLOY, C. de. La vérité de l’agir selon saint Thomas d’Aquin. Revue Thomiste 2004, vol. 104, no 1-2 (352 p.) [Document: 23 p.] (ref. et notes dissem.), pp. 103-125 [23 page(s) (article)].
DEMAN, Th. Appendice II: renseignements techniques. In Saint Thomas d'Aquin, Somme théologique: La prudence 2a–2æ, Questions 47–56. Deuxième Edition. Éditions de la Revue des jeunes. Paris, 1949.
____________, “Probabilisme” in VACANT, A., MANGENOT, E., & AMANN, E., éds., Dictionnaire de théologie catholique. Paris: Letouzey, 1931. p. 418-619.
ELDERS, Leo J., S.V.D. The Ethics of St. Thomas Aquinas. Frankfurt am Main: Peter Lang, 2005.
GONZÁLEZ-AYESTA, Cruz. La verdad como bien según Tomás de Aquino, Eunsa, Pamplona, 2006.
FERRARA, R.C. A conexão entre medida e verdade em Tomás de Aquino. Dissertação (Mestrado em Filosofia). Universidade São Judas Tadeu. São Paulo, 2013.
FONSECA. J. P. da. Apreensão dos primeiros princípios da lei natural em Tomás de Aquino. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade de São Paulo, 2014.
GARRIGOU-LAGRANGE, Reginald. La prudence. Sa place dans l'organisme des vertus, Revue Thomiste, XXXI (1926), P. 411-426.
_______________________________. Du caractère metaphysique de la theologie morale de Saint Thomas. Revue Thomiste XXX (1930), P.341-355.
________________________________.La nouvelle théologie, où va-t-elle ?. Disponível em: http://www.salve-regina.com/salve/La_nouvelle_th%C3%A9ologie,_o%C3%B9_va-t-elle_%3F. Acesso em 25-08-2015 às 23:50.
GONZÁLEZ-AYESTA, C. La verdad como bien según Tomás de Aquino, Eunsa, Pamplona, 2006.
GOUTIERRE, Marie-Dominique. Le jugement selon saint Thomas d'Aquin, V. Disponível em: http://www.les-trois-sagesses.org/article-le-jugement-selon-saint-thomas-d-aquin-v-74452554.html. Acesso em 25-08-2015 às 23:45.
LABOURDETTE, M. M., Théologie Morale: “Revue Thomiste” 50 (1950) 192-227.
LAIS, Martin. Thomas d’Aquin, le plaisir et la sexualité. Disponível em: http://docteurangelique.free.fr/livresformatweb/theses/Thomasetplaisir.htm. Acesso em 25-08-2015 às 23:40.
LAUAND, L. J. A Prudência. A virtude da decisão certa. São Paulo: Martins Fontes, 2014.
_________. ‘A Virtude da Prudência na base da Justiça e da Weltanschauung de Tomás de Aquino. ’ In: Direito Natural, Justiça e Política, Volume I, org. Paulo Ferreira da Cunha, Coimbra Editora, 2005.
__________. Oriente & ocidente: razão, natureza e graça - Tomás de Aquino em sentenças. São Paulo: EDIX, 1993.
________. Provérbios e Educação Moral – A filosofia de Tomás de Aquino e a Pedagogia do Mathal. HotTopos. São Paulo, 1997. Disponível em: http://www.deproverbio.com/display.php?a=4&f=DPbooks&r=LAUAND/4.htm. Acesso em 14-08-2015 às 22:49.
LEME, C. T. A virtude da prudência em Santo Tomás de Aquino, uma leitura sobre a questão 47 da IIa IIae. Dissertação de Mestrado. Faculdade de São Bento, São Paulo, 2014.
MACINTYRE, A. Justiça de Quem? Qual Racionalidade? São Paulo: Loyola, 1991.
MURARO, R. T. Os limites da lei humana na Suma de Teologia de Santo Tomás de Aquino. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade de São Paulo, 2014.
NASCIMENTO, C. A. R. do. A Prudência Segundo Tomás de Aquino. Revista Síntese Nova Fase. Belo Horizonte, v.20 n. 62, p. 365-385, 1993.
NAUS, S.J., John. The Nature of the Practical Intellect According to Saint Thomas Aquinas. Roma: Gregorian University, 1959.
KRETZMANN, N. ; STUMP, E. (Edited by). The Cambridge Companion to Aquinas. Cambridge: Cambridge University Press, 1997.
PAZ, H. de. “Tratado de la Prudencia. Introducción a las Cuestiones 47 a 56”. IN: Suma de Teologia. Madrid: BAC, 1995.
PIEPER, Josef. Virtudes Fundamentais, Lisboa, Áster, 1960.
_____________. El descubrimiento de la realidad, Rialp, Madrid, 1974.
POULIQUEN, Tanguy Marie. Suivre sa conscience: quand “liberté de conscience”, “vérité” et “bien” sont indissociables. Bulletin de Littérature Ecclésiastique 109 (Ja-Mr 2008) 1, 53-72. Disponível em: http://libertecatholique.blogspot.com.br/. Acesso em 25-08-2015 às 23:59.
SÉLLES, J. F. La virtud de la prudencia según Tomás de Aquino. Cuadernos de anuario filosófico, Navarra, n. 90, 1999.
SlMON, Yves . Critique de la connaissance morale. Paris, Desclée De Brouwer, 1934.
TORREL, J. P. Santo Tomás de Aquino: Mestre Espiritual. Tradução de J.Pereira. 2ª edição revista e acrescida de um Posfácio. Edições Loyola. São Paulo, 2008.
TRIGO, T. Prudencia y libertad. Scripta Theologica, Pamplona, janeiro - abril, v. 34, p. 273 - 307, 2002. Disponível em: http://dspace.unav.es/dspace/bitstream/10171/8279/1/25504634.pdf. Acesso em 14-08-2015 às 22:52.
Publicado
2017-06-30
Como Citar
FERRARA, Ricardo Czepurnyj. A prudência e sua aproximação com a verdade prática em Tomás de Aquino. Revista Acadêmica Integra/Ação, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 155-172, june 2017. ISSN 2594-4878. Disponível em: <http://www.fics.edu.br/index.php/integraacao/article/view/530>. Acesso em: 17 sep. 2021. doi: https://doi.org/10.22287/integraacao.v1i1.530.