Cinema e História: uma reflexão sobre as possibilidades do cinema como fonte e como recurso didático

Silene Ferreira Claro

Resumo


O presente artigo apresenta uma reflexão teórica e metodológica sobre as possibilidades do uso do cinema como fonte histórica. A partir de tal perspectiva, argumentamos que o professor de História pode utilizar a mesma metodologia para realização de uma pesquisa histórica ao desenvolver suas aulas. Diante disto, analisamos o cinema enquanto fonte levantando as potencialidades de seu uso como material didático nos três níveis da educação: Fundamental, Médio e Superior


Palavras-chave


Cinema; História; Ensino de História; Metodologia de análise.

Texto completo:

PDF

Referências


ABUD, Kátia Maria. A construção de uma Didática da História: algumas idéias sobre a utilização de filmes no ensino. História, São Paulo, 22(1); 2003

ALMEIDA, Juniel Rabêlo de; ROVAI, Marta Gouveia de Oliveira (Orgs.) Introdução à História Pública. São Paulo: Letra e Voz, 2011.

ALVES, Giovanni; MACEDO, Felipe. Cineclube, Cinema & Educação. Londrina: Práxis, Bauru: Canal 6, 2010.

ANTUNES, João Carlos, SANTOS, Vitor Augusto, SOARES, Sandra Matos. O Nome da Rosa: A personagem Guilherme Baskerville. http://www.ipv.pt/forumedia/3/3_fe1.htm (acessado em 16/05/2005)

ANTUNES, Ricardo C. O que é sindicalismo. 14ª ed., São Paulo: Brasiliense, 1988.

BARROS, José D’Assunção. O campo da História: especialidades e abordagens. 6. Ed., Petrópolis: Vozes, 2009.

BARROS, José D’Assunção. O projeto de pesquisa em História: da escolha do tema ao quadro teórico. Petrópolis: Vozes, 2009.

BRANCO, Alberto Manuel Vara. O cinema nas décadas de 30 a 50 do século XX: uma visão histórica. Dados disponíveis em: http://www.ipv.pt/forumedia/5/15.htm (acessado em 16/02/2011).

BRIGGS, Asa. BURKE, Peter. Uma história social da mídia: de Gutenberg à Internet. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2004.

BURKE, Peter. A Revolução Francesa da Historiografia: A Escola dos Annales (1929-1989). São Paulo: Editora Universidade Estadual Paulista, 1991.

CALDAS, Pedro Spinola Pereira. A arquitetura da teoria: o complemento da trilogia de Jörn Rüsen. Fênix – Revista de História e Estudos Culturais, Janeiro/ Fevereiro/ Março de 2008 Vol. 5 Ano V nº 1

CAPELATO, Maria Helena, MORETTIN, Eduardo, NAPOLITANO, Marcos, SALIBA, Elias Thomé. História e cinema: dimensões históricas do audiovisual. São Paulo: Alameda, 2007.

CARDOSO, Ciro Flamarion. VAINFAS, Ronaldo. Domínios da História: ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Elsevier, 1997.

CASSIANO, Célia Cristina de Figueiredo. Aspectos políticos e econômicos da circulação do livro didático de História e suas implicações curriculares. História, São Paulo, 23 (1-2): 2004

(acessado em 12/05/2007)

EAGLETON, Terry. A ideia de cultura. São Paulo: Editora Unesp, 2005.

EVANGELISTA, Rafael, BARBIERI, Andréia. Nas fronteiras entre o cinema e a História. In: http://www.comciencia.br/especial/cinema/cine01.htm (acessado em 17/10/2006)

FONSECA, Selva Guimarães; GATTI JÚNIOR, Décio (Orgs.). Perspectivas do Ensino de História: ensino, cidadania e consciência histórica. Uberlêndia: Edufu, 2011.

FERRO, Marc. A manipulação da história no ensino e nos meios de comunicação. São Paulo: Ibrasa, 1983.

FERRO, Marc. Cinema e História. São Paulo: Paz e Terra, 1992.

FRANÇA, George Luiz. Apocalipses semióticos e ecos de mortes, labirintos e livros: visitando O nome da Rosa. http://www.mafua.ufsc.br/george.html (acessado em 12/06/2005).

GAWRYSZEWSKI, Alberto (Org.). Imagem em debate. Londrina: Eduel, 2011.

GARDINER, Patrick. Teorias da História. 4 ed., Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1995.

GLEZER, Raquel. A História nas bancas de jornais. Eclética2005. Publicação Eventual do Departamento de História da FFLCH/USP.

GLEZER, Raquel. A noção do tempo e o Ensino de História. LPH, Revista de História, v.2, n.1, 1991.

GRAÇA, Marcos da Silva; AMARAL, Sergio Botelho do; GOULART, Sonia. Cinema Brasileiro: três olhares. Niterói: Eduff, 1997.

HAGEMEYER, Rafael Rosa. História & Audiovisual. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2012 (História &... Reflexões)

História do cinema. Dados disponíveis em http://www.mnemocine.com.br/cinema/historiatextos/carla2int.htm (acessado em 11/03/2009).

História, Teoria da História e Culturas Historiográficas: Entrevista com Astor Antônio Diehl. Entrevistadores: Cláudia Engler Cury, Elio Chaves Flores e Raimundo Barroso Cordeiro Jr.; Transcrição: Alessandro Moura de Amorim (Mestrando PPGH/UFPB). SÆculum - REVISTA DE HISTÓRIA [21]; João Pessoa, jul./ dez. 2009.

HORN, Geraldo Balduíno; GERMINARI, Geyso Dongley. O ensino de História e seu currículo: teoria e método. 3. Ed., Petrópolis: Vozes, 2010.

MACHADO, João Luis Almeida. Sherlock Holmes Medieval - "O Nome da Rosa" http://www.planetaeducacao.com.br/cinema/nome_rosa.asp (acessado em 09/05/2005)

MATTOZZI, Ivo. Currículo de História e Educação para o Patrimônio. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 47, p. 135-155, jun. 2008.

MIUCCI, Carla. HISTÓRIA DO CINEMA: Um breve olhar. Dados disponíveis em: http://www.mnemocine.com.br/cinema/historiatextos/carla2int.htm (acessado em 12/02/2011).

MUNAKATA, Kazumi. Dois manuais de história para professores: histórias de sua produção. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.30, n.3, p. 513-529, set./dez. 2004

NOVA, Cristiane. O cinema e o conhecimento da História. O Olho da História, 3. Dados disponíveis em: http://www.oolhodahistoria.ufba.br/o3cris.html (acessado em 16/10/2006)

POSSAMAI, Zita Rosane. Museu e arquivo: laboratórios de aprendizagem e descobertas. In: LENSKIJ, Tatiana, HEIFER, Nadir Emma (Org.). A memória e o ensino de História. Santa Cruz do Sul: Edunisc-ANPUH/RS, 2000, pp. 97-106.

PRADO NETTO, Arthur. O caso “A Rainha Margot”: Psicanálise e História. In: O Olho da História, http://www.oolhodahistoria.ufba.br/o3cris.html (acessado em 16/10/2006)

PROENÇA, Graça. História da arte. São Paulo: Ática, 2000.

RAMOS, Alcides Freire. Canibalismo dos fracos: Cinema e História do Brasil. Bauru: Edusc, 2002.

ROIZ, Diogo da Silva. A ‘crise de paradigmas’ nas Ciências Sociais, uma questão relativa à teoria da história? Topoi, v. 7, n. 12, jan.-jun. 2006, pp. 261-266.

RÜSEN, Jörn. Didática da História: passado, presente e perspectivas a partir do caso alemão. Práxis Educativa. Ponta Grossa, PR. v. 1, n. 2, p. 07 – 16, jul.-dez. 2006

SCHMIDT, Maria Auxiliadora M. S. Perspectivas da consciência histórica e da aprendizagem em narrativas de jovens brasileiros. Tempos Históricos, volume 12 - 1º semestre - 2008 - p. 81-96

SCHMIDT, Maria Auxiliadora Moreira Dos Santos, GARCIA, Tânia Maria F. Braga. A formação da consciência histórica de alunos e professores e o cotidiano em aulas de história. Cad. Cedes, Campinas, vol. 25, n. 67, p. 297-308, set./dez. 2005. Disponível em http://www.cedes.unicamp.br

SCHWARTZ, Adriano (Org.) Memórias do presente: 100 entrevistas do mais! – conhecimento das artes. São Paulo: Publifolha, 2003.

SILVA, Humberto Pereira da. Ir ao cinema: um olhar sobre filmes. São Paulo: Musa Editora, 2006.

SILVA, Marcos; FONSECA, Selva Guimarães. Ensinar História no século XXI: em busca do tempo entendido. 3. Ed., Campinas: Papirus, 2010.

SILVA, Rogério Chaves da. A dimensão narrativa e a didática da História em Jörn Rüsen. OPSIS, Catalão, v. 9, n. 12,.jan-jun 2009.

SILVA, Vitória Rodrigues e. Estratégias de leitura e competência leitora: contribuições para a prática de ensino em História. História, São Paulo, 23 (1-2): 2004

VIRILIO, Paulo. Guerra e Cinema: logística da percepção. São Paulo: Boitempo, 2005 (Coleção Estado de Sítio).

ZIZEK, Slavoj. Lacrimae rerum: ensaios sobre cinema moderno. São Paulo: Boitempo, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.






Faculdades Integradas "Campos Salles" • Rua Nossa Senhora da Lapa, 270/284 - Lapa • São Paulo/SP • CEP 05072-000 • Telefone: (11) 3649-7000 • Fax: 3649-7001 • E-mail: revistaacademica@cs.edu.br • ISSN Impresso: 1518-9597 • ISSN Eletrônico: 2316-3852

 Latindex

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.