Cinema e História: uma reflexão sobre as possibilidades do cinema como fonte e como recurso didático

  • Silene Ferreira Claro Docente no curso de Pedagogia das Faculdades Integradas Campos Salles.

Resumo

O presente artigo apresenta uma reflexão teórica e metodológica sobre as possibilidades do uso do cinema como fonte histórica. A partir de tal perspectiva, argumentamos que o professor de História pode utilizar a mesma metodologia para realização de uma pesquisa histórica ao desenvolver suas aulas. Diante disto, analisamos o cinema enquanto fonte levantando as potencialidades de seu uso como material didático nos três níveis da educação: Fundamental, Médio e Superior

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##
Doutora em História Social pela FFLCH-USP (2008). Bacharel em História pela Universidade de São Paulo (1999) e graduação em Licenciatura em História pela Universidade de São Paulo (1999). Docente no Curso de Pedagogia nas Faculdades Integradas Campos Salles, cadeira de Metodologia do Ensino de História, Tecnologias da Informação e Comunicação aplicadas à Educação e História da Educação. Docente nos cursos de História e de Pedagogia da Faculdade Sumaré.  Fui professora do Centro Universitário Sant’Anna e monitora PAE no Departamento de História da Fac. de Filosofia, Letras e Ciências Humanas – USP, em 2005. Experiência na área de História, com ênfase em História Regional do Brasil, Historiografia e História do Brasil Contemporâneo, África e cultura Afro-brasileira, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, cultura brasileira, história cultural, didática do ensino de História e uso de tecnologias na e para a educação. Membro do NDE - Núcleo Docente Estruturante, dentro da Faculdade Sumaré desde agosto de 2012 e também no Centro Universitário Sant’Anna, nos cursos de Licenciatura em História e de Música, conforme orientações do MEC, entre 2008 e 2010. Colaboradora do NDE das Faculdades Integradas Campos Salles. Autora colaboradora na Editora Oxford do Brasil desde 2011. Fui tutora no curso da Escola de Formação de Professores Paulo Renato de Souza na edição de preparação de cursistas para o concurso em 2011. Atuo também como professora de História, Sociologia e Filosofia nos ensinos Fundamental e Médio, na rede privada, em Osasco-SP.

Referências

ABUD, Kátia Maria. A construção de uma Didática da História: algumas idéias sobre a utilização de filmes no ensino. História, São Paulo, 22(1); 2003
ALMEIDA, Juniel Rabêlo de; ROVAI, Marta Gouveia de Oliveira (Orgs.) Introdução à História Pública. São Paulo: Letra e Voz, 2011.
ALVES, Giovanni; MACEDO, Felipe. Cineclube, Cinema & Educação. Londrina: Práxis, Bauru: Canal 6, 2010.
ANTUNES, João Carlos, SANTOS, Vitor Augusto, SOARES, Sandra Matos. O Nome da Rosa: A personagem Guilherme Baskerville. http://www.ipv.pt/forumedia/3/3_fe1.htm (acessado em 16/05/2005)
ANTUNES, Ricardo C. O que é sindicalismo. 14ª ed., São Paulo: Brasiliense, 1988.
BARROS, José D’Assunção. O campo da História: especialidades e abordagens. 6. Ed., Petrópolis: Vozes, 2009.
BARROS, José D’Assunção. O projeto de pesquisa em História: da escolha do tema ao quadro teórico. Petrópolis: Vozes, 2009.
BRANCO, Alberto Manuel Vara. O cinema nas décadas de 30 a 50 do século XX: uma visão histórica. Dados disponíveis em: http://www.ipv.pt/forumedia/5/15.htm (acessado em 16/02/2011).
BRIGGS, Asa. BURKE, Peter. Uma história social da mídia: de Gutenberg à Internet. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2004.
BURKE, Peter. A Revolução Francesa da Historiografia: A Escola dos Annales (1929-1989). São Paulo: Editora Universidade Estadual Paulista, 1991.
CALDAS, Pedro Spinola Pereira. A arquitetura da teoria: o complemento da trilogia de Jörn Rüsen. Fênix – Revista de História e Estudos Culturais, Janeiro/ Fevereiro/ Março de 2008 Vol. 5 Ano V nº 1
CAPELATO, Maria Helena, MORETTIN, Eduardo, NAPOLITANO, Marcos, SALIBA, Elias Thomé. História e cinema: dimensões históricas do audiovisual. São Paulo: Alameda, 2007.
CARDOSO, Ciro Flamarion. VAINFAS, Ronaldo. Domínios da História: ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Elsevier, 1997.
CASSIANO, Célia Cristina de Figueiredo. Aspectos políticos e econômicos da circulação do livro didático de História e suas implicações curriculares. História, São Paulo, 23 (1-2): 2004
(acessado em 12/05/2007)
EAGLETON, Terry. A ideia de cultura. São Paulo: Editora Unesp, 2005.
EVANGELISTA, Rafael, BARBIERI, Andréia. Nas fronteiras entre o cinema e a História. In: http://www.comciencia.br/especial/cinema/cine01.htm (acessado em 17/10/2006)
FONSECA, Selva Guimarães; GATTI JÚNIOR, Décio (Orgs.). Perspectivas do Ensino de História: ensino, cidadania e consciência histórica. Uberlêndia: Edufu, 2011.
FERRO, Marc. A manipulação da história no ensino e nos meios de comunicação. São Paulo: Ibrasa, 1983.
FERRO, Marc. Cinema e História. São Paulo: Paz e Terra, 1992.
FRANÇA, George Luiz. Apocalipses semióticos e ecos de mortes, labirintos e livros: visitando O nome da Rosa. http://www.mafua.ufsc.br/george.html (acessado em 12/06/2005).
GAWRYSZEWSKI, Alberto (Org.). Imagem em debate. Londrina: Eduel, 2011.
GARDINER, Patrick. Teorias da História. 4 ed., Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1995.
GLEZER, Raquel. A História nas bancas de jornais. Eclética2005. Publicação Eventual do Departamento de História da FFLCH/USP.
GLEZER, Raquel. A noção do tempo e o Ensino de História. LPH, Revista de História, v.2, n.1, 1991.
GRAÇA, Marcos da Silva; AMARAL, Sergio Botelho do; GOULART, Sonia. Cinema Brasileiro: três olhares. Niterói: Eduff, 1997.
HAGEMEYER, Rafael Rosa. História & Audiovisual. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2012 (História &... Reflexões)
História do cinema. Dados disponíveis em http://www.mnemocine.com.br/cinema/historiatextos/carla2int.htm (acessado em 11/03/2009).
História, Teoria da História e Culturas Historiográficas: Entrevista com Astor Antônio Diehl. Entrevistadores: Cláudia Engler Cury, Elio Chaves Flores e Raimundo Barroso Cordeiro Jr.; Transcrição: Alessandro Moura de Amorim (Mestrando PPGH/UFPB). SÆculum - REVISTA DE HISTÓRIA [21]; João Pessoa, jul./ dez. 2009.
HORN, Geraldo Balduíno; GERMINARI, Geyso Dongley. O ensino de História e seu currículo: teoria e método. 3. Ed., Petrópolis: Vozes, 2010.
MACHADO, João Luis Almeida. Sherlock Holmes Medieval - "O Nome da Rosa" http://www.planetaeducacao.com.br/cinema/nome_rosa.asp (acessado em 09/05/2005)
MATTOZZI, Ivo. Currículo de História e Educação para o Patrimônio. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 47, p. 135-155, jun. 2008.
MIUCCI, Carla. HISTÓRIA DO CINEMA: Um breve olhar. Dados disponíveis em: http://www.mnemocine.com.br/cinema/historiatextos/carla2int.htm (acessado em 12/02/2011).
MUNAKATA, Kazumi. Dois manuais de história para professores: histórias de sua produção. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.30, n.3, p. 513-529, set./dez. 2004
NOVA, Cristiane. O cinema e o conhecimento da História. O Olho da História, 3. Dados disponíveis em: http://www.oolhodahistoria.ufba.br/o3cris.html (acessado em 16/10/2006)
POSSAMAI, Zita Rosane. Museu e arquivo: laboratórios de aprendizagem e descobertas. In: LENSKIJ, Tatiana, HEIFER, Nadir Emma (Org.). A memória e o ensino de História. Santa Cruz do Sul: Edunisc-ANPUH/RS, 2000, pp. 97-106.
PRADO NETTO, Arthur. O caso “A Rainha Margot”: Psicanálise e História. In: O Olho da História, http://www.oolhodahistoria.ufba.br/o3cris.html (acessado em 16/10/2006)
PROENÇA, Graça. História da arte. São Paulo: Ática, 2000.
RAMOS, Alcides Freire. Canibalismo dos fracos: Cinema e História do Brasil. Bauru: Edusc, 2002.
ROIZ, Diogo da Silva. A ‘crise de paradigmas’ nas Ciências Sociais, uma questão relativa à teoria da história? Topoi, v. 7, n. 12, jan.-jun. 2006, pp. 261-266.
RÜSEN, Jörn. Didática da História: passado, presente e perspectivas a partir do caso alemão. Práxis Educativa. Ponta Grossa, PR. v. 1, n. 2, p. 07 – 16, jul.-dez. 2006
SCHMIDT, Maria Auxiliadora M. S. Perspectivas da consciência histórica e da aprendizagem em narrativas de jovens brasileiros. Tempos Históricos, volume 12 - 1º semestre - 2008 - p. 81-96
SCHMIDT, Maria Auxiliadora Moreira Dos Santos, GARCIA, Tânia Maria F. Braga. A formação da consciência histórica de alunos e professores e o cotidiano em aulas de história. Cad. Cedes, Campinas, vol. 25, n. 67, p. 297-308, set./dez. 2005. Disponível em http://www.cedes.unicamp.br
SCHWARTZ, Adriano (Org.) Memórias do presente: 100 entrevistas do mais! – conhecimento das artes. São Paulo: Publifolha, 2003.
SILVA, Humberto Pereira da. Ir ao cinema: um olhar sobre filmes. São Paulo: Musa Editora, 2006.
SILVA, Marcos; FONSECA, Selva Guimarães. Ensinar História no século XXI: em busca do tempo entendido. 3. Ed., Campinas: Papirus, 2010.
SILVA, Rogério Chaves da. A dimensão narrativa e a didática da História em Jörn Rüsen. OPSIS, Catalão, v. 9, n. 12,.jan-jun 2009.
SILVA, Vitória Rodrigues e. Estratégias de leitura e competência leitora: contribuições para a prática de ensino em História. História, São Paulo, 23 (1-2): 2004
VIRILIO, Paulo. Guerra e Cinema: logística da percepção. São Paulo: Boitempo, 2005 (Coleção Estado de Sítio).
ZIZEK, Slavoj. Lacrimae rerum: ensaios sobre cinema moderno. São Paulo: Boitempo, 2009.
Publicado
2012-12-27
Como Citar
CLARO, Silene Ferreira. Cinema e História: uma reflexão sobre as possibilidades do cinema como fonte e como recurso didático. Augusto Guzzo Revista Acadêmica, São Paulo, n. 10, p. 113-126, dec. 2012. ISSN 2316-3852. Disponível em: <http://www.fics.edu.br/index.php/augusto_guzzo/article/view/132>. Acesso em: 23 nov. 2017. doi: https://doi.org/10.22287/ag.v1i10.132.

Palavras-chave

Cinema; História; Ensino de História; Metodologia de análise.